biografia
inquietações
trabalhos
fotos
imprensa
e-mail
agenda

Sempre que voc√™ perceber que perdeu a oportunidade da vida, o primeiro princ√≠pio a ser trazido de volta √© a inoc√™ncia. Abandone o seu conhecimento, esque√ßa as suas escrituras, esque√ßa as suas religi√Ķes, suas teologias, suas filosofias. Nas√ßa novamente, torne-se inocente - e a possibilidade est√° em suas m√£os. Limpe a sua mente de todo conhecimento que n√£o foi descoberto por voc√™ mesmo, de todo conhecimento que foi tomado emprestado dos outros, tudo o que veio pela tradi√ß√£o, conven√ß√£o, tudo o que lhe foi dado pelos outros - pais, professores, universidades. Simplesmente desfa√ßa-se disso. Novamente seja simples, mais uma vez seja uma crian√ßa. E esse milagre √© poss√≠vel pela medita√ß√£o.
O segundo princ√≠pio √© a peregrina√ß√£o. A vida deve ser uma busca - n√£o um desejo, mas uma pesquisa: n√£o uma ambi√ß√£o para tornar-se isso, para tornar-se aquilo, um presidente de um pa√≠s, ou um primeiro-ministro, mas uma pesquisa para encontrar 'Quem sou eu?'. √Č muito estranho que as pessoas que n√£o sabem quem elas s√£o, est√£o tentando se tornar algu√©m. Elas nem mesmo sabem quem elas s√£o neste momento! Elas n√£o conhecem os seus seres - mas elas t√™m um objetivo de vir a ser. Vir a ser √© a doen√ßa da alma. O ser √© voc√™ e descobrir o seu ser √© o come√ßo da vida. Ent√£o cada momento √© uma nova descoberta, cada momento traz uma alegria. Um novo mist√©rio abre as suas portas, um novo amor come√ßa a crescer em voc√™, uma nova compaix√£o que voc√™ nunca sentiu antes, uma nova sensibilidade a respeito da beleza, a respeito da bondade.
Voc√™ se torna t√£o sens√≠vel que at√© a menor folha de grama passa a ter uma import√Ęncia imensa para voc√™. Sua sensibilidade torna claro para voc√™ que essa pequena folha de grama √© t√£o importante para a exist√™ncia quanto a maior estrela; sem esse folha de grama, a exist√™ncia seria menos do que √©. E essa pequena folha de grama √© √ļnica, ela √© insubstitu√≠vel, ela tem a sua pr√≥pria individualidade.
E essa sensibilidade criará novas amizades para você - amizades com árvores, com pássaros, com animais, com montanhas, com rios, com oceanos, com as estrelas. A vida se torna mais rica enquanto o amor cresce, enquanto a amizade cresce...
Quando voc√™ se torna mais sens√≠vel, a vida se torna maior. Ela n√£o √© um pequeno po√ßo, ela se torna oce√Ęnica. Ela n√£o est√° confinada a voc√™, sua esposa e seus filhos - ela n√£o √© confinada de jeito algum. Toda essa exist√™ncia se torna a sua fam√≠lia e a n√£o ser que toda essa exist√™ncia seja a sua fam√≠lia, voc√™ n√£o conheceu o que √© a vida. - porque homem algum √© uma ilha, n√≥s estamos todos conectados. N√≥s somos um vasto continente, unidos de mil maneiras. E se o nosso cora√ß√£o n√£o est√° cheio de amor pelo todo, na mesma propor√ß√£o a nossa vida √© diminu√≠da.
Os videntes do antigo oriente foram muito enf√°ticos a respeito da quest√£o de que todas as grandes artes - m√ļsica, poesia, dan√ßa, pintura, escultura - s√£o todas nascidas da medita√ß√£o. Elas s√£o um esfor√ßo para, de algum modo, trazer o incompreens√≠vel para o mundo do conhecimento, para aqueles que n√£o est√£o prontos para a peregrina√ß√£o - presentes para aqueles que ainda n√£o est√£o prontos para partirem na peregrina√ß√£o. Talvez uma can√ß√£o possa despertar um desejo de ir em busca da fonte, talvez uma est√°tua.
Uma certa ci√™ncia secreta foi usada por s√©culos, de modo que as gera√ß√Ķes futuras pudessem entrar em contato com as experi√™ncias das gera√ß√Ķes mais velhas - n√£o atrav√©s de livros, n√£o atrav√©s de palavras, mas atrav√©s de algo que vai mais profundo - atrav√©s do sil√™ncio, atrav√©s da medita√ß√£o, atrav√©s da paz. √Ä medida que seu sil√™ncio cresce, sua amizade cresce, seu amor cresce; sua vida se torna uma dan√ßa, momento a momento, uma alegria, uma celebra√ß√£o.
Voc√™ j√° pensou sobre o porqu√™, em todo o mundo, em toda cultura, em toda sociedade, existem uns poucos dias no ano para a celebra√ß√£o? Esses poucos dias para a celebra√ß√£o s√£o apenas uma compensa√ß√£o - porque essas sociedades tiraram toda a celebra√ß√£o de sua vida e se nada √© dado para voc√™ em compensa√ß√£o, sua vida pode tornar-se um perigo para a cultura. Toda cultura criou alguma compensa√ß√£o e assim voc√™ n√£o se sentir√° completamente perdido na mis√©ria, na tristeza... Mas essas compensa√ß√Ķes s√£o falsas. Mas no seu mundo interior pode existir uma continuidade de luz, can√ß√Ķes, alegria.
Sempre lembre-se que a sociedade o compensa quando ela sente que a repressão pode explodir em uma situação perigosa se não for compensada. A sociedade encontra algum jeito de lhe permitir soltar a repressão. Mas isso não é a verdadeira celebração, e não pode ser verdadeira. A verdadeira celebração deveria vir de sua vida, na sua vida.
E a celebração não pode estar de acordo com o calendário, que no primeiro dia de novembro você irá celebrar. Estranho, o ano todo você é miserável e no primeiro dia de novembro, de repente, você sai da miséria, dançando. Ou a miséria era falsa ou o primeiro de novembro é falso.; ambos não podem ser verdadeiros. E uma vez que o primeiro de novembro se vai, você está de volta em seu buraco negro, todo mundo em sua miséria, todo mundo em sua ansiedade.
A vida deveria ser uma celebração contínua, um festival de luzes por todo o ano. Somente então você pode se desenvolver, você pode florir. Transforme pequenas coisas em celebração... Tudo o que você faz deveria expressar a si próprio; deveria ter a sua assinatura. Então a vida se torna uma celebração contínua.
Inclusive se voc√™ adoece e voc√™ est√° deitado na cama, voc√™ far√° daqueles momentos de repouso, momentos de beleza e alegria, momentos de relaxamento e descanso, momentos de medita√ß√£o, momentos para ouvir m√ļsica ou poesia. N√£o h√° necessidade de ficar triste porque voc√™ est√° doente. Voc√™ deveria estar feliz porque todo mundo est√° no escrit√≥rio e voc√™ est√° na cama como um rei, relaxando - algu√©m est√° preparando ch√° para voc√™, o samovar est√° cantando uma can√ß√£o, um amigo se oferece para vir e tocar flauta para voc√™. Essas coisas s√£o mais importantes do que qualquer rem√©dio. Quando voc√™ est√° doente, chame um m√©dico. Mas, mais importante, chame aqueles que o amam porque n√£o existe rem√©dio mais importante que o amor. Chame aqueles que podem criar beleza, m√ļsica, poesia √† sua volta, porque n√£o existe nada que cure como uma atmosfera de celebra√ß√£o.
O medicamento é o mais baixo tipo de tratamento. Mas parece que nós esquecemos tudo, assim nós temos que depender dos medicamentos e ficar rabugentos e tristes - como se você estivesse perdendo uma grande alegria que havia quando você estava no escritório! No escritório você era miserável - simplesmente um dia de folga, mas você também se agarra à miséria, você não a deixa ir.
Faça todas as coisas criativas, faça o melhor a partir do pior - isso é o que eu chamo de arte. E se um homem viveu toda a vida fazendo a todo momento uma beleza, um amor, um desfrute, naturalmente a sua morte será o supremo pico no empenho de toda a sua vida.
Os √ļltimos toques... sua morte n√£o ser√° feia como ordinariamente acontece todo dia com todo mundo. Se a morte √© feia, isso significa que toda a sua vida foi um desperd√≠cio. A morte deveria ser uma aceita√ß√£o pac√≠fica, uma entrada amorosa no desconhecido, um alegre despedir-se dos velhos amigos, do velho mundo...
Comece com a meditação e muitas coisas crescerão em você - silêncio, serenidade, êxtase, sensibilidade. E o que quer que venha com a meditação, tente trazer para a sua vida. Compartilhe isso, porque tudo o que é compartilhado cresce mais rápido. E quando você atingir o momento da morte, você saberá que não existe morte. Você pode dizer adeus, não existe nenhuma necessidade de lágrima de tristeza - talvez lágrimas de felicidade, mas não de tristeza."
OSHO


 Escrito por BŠrbara Paz ŗs 02:58
[ ]




Estou impressionada como tem mulher sozinha,
a noite esta repleta de mulheres lindas, solteiras e caçadoras,
todas a procura de um homem ,
do seu homem ,
ou simplesmente algum que aqueça sua noite ....
Esta raro‚ÄĚ- esse √© o lema ,

se j√° tem um homem agarre-o,
case e não solte , não leve para noite , faça filhos , vire dona de casa,
mas n√£o deixe ele passear com o cachorro,
um brotinho pode estar na próxima esquina deprimida,
chorosa e desesperançada ,de repente ele passa ,
talvez ela ache que ele é seu príncipe e corra atrás como uma Cinderela ...
e como homens tem o cérebro bem diferente do nosso , ele se deitara com ela ,
fará musica , e virarão amantes ,no quarto mês ele deixara sua casa
em troca de uma aventura moderna e sem compromisso ...

Assim você volta para noite, pra caça , pra fumaça , para o álcool
e para o vazio , para os beijos melados , para as conversas sem nexo ,
para o céu cinzento ...
assim voltara também para a arte ,
pois se encontrara perdida , navegando em algum quadro surrealista de alguma exposição ,
se encontrara nos museus , nas latrinas , nos Sebos e cinemas desertos...se encontrara nas musicas cl√°ssicas
e no jazz de botequim ... voltara a fumar
e não fará mais as unhas , se sentira feia , melancólica e poeta ...
e seu √ļnico companheiro ser√° a solid√£o ...
’pois quando se ama e perde ...ninguém te faz sorrir igual
aquele que te fez gozar >Pois quando se quer alguém e esse alguém já não te pertence mais ...
as festas , as pessoas , as peças de teatro , os filmes , os textos ,
todos jorram sangue ..todos s√£o fluidos para manter acessa esse antigo sentimento ...
todo o Universo tem a cara dele estampado no meio , como um Girassol!
Ane Stuart







 Escrito por BŠrbara Paz ŗs 02:19
[ ]




08/01/2012 a 14/01/2012
24/04/2011 a 30/04/2011
26/09/2010 a 02/10/2010
22/11/2009 a 28/11/2009
09/08/2009 a 15/08/2009
19/07/2009 a 25/07/2009
07/06/2009 a 13/06/2009
26/04/2009 a 02/05/2009
22/03/2009 a 28/03/2009
30/11/2008 a 06/12/2008
09/11/2008 a 15/11/2008
05/10/2008 a 11/10/2008
14/09/2008 a 20/09/2008
31/08/2008 a 06/09/2008
10/08/2008 a 16/08/2008
11/05/2008 a 17/05/2008
20/04/2008 a 26/04/2008
02/03/2008 a 08/03/2008
10/02/2008 a 16/02/2008
18/11/2007 a 24/11/2007
09/09/2007 a 15/09/2007
02/09/2007 a 08/09/2007
12/08/2007 a 18/08/2007
29/07/2007 a 04/08/2007
22/07/2007 a 28/07/2007
24/06/2007 a 30/06/2007
10/06/2007 a 16/06/2007
03/06/2007 a 09/06/2007
27/05/2007 a 02/06/2007
13/05/2007 a 19/05/2007
11/03/2007 a 17/03/2007
04/02/2007 a 10/02/2007
07/01/2007 a 13/01/2007
19/11/2006 a 25/11/2006
01/10/2006 a 07/10/2006
03/09/2006 a 09/09/2006
20/08/2006 a 26/08/2006
23/07/2006 a 29/07/2006
16/07/2006 a 22/07/2006
02/07/2006 a 08/07/2006
28/05/2006 a 03/06/2006
07/05/2006 a 13/05/2006
23/04/2006 a 29/04/2006
16/04/2006 a 22/04/2006
09/04/2006 a 15/04/2006
02/04/2006 a 08/04/2006
26/03/2006 a 01/04/2006
19/03/2006 a 25/03/2006
12/03/2006 a 18/03/2006
05/02/2006 a 11/02/2006
29/01/2006 a 04/02/2006
01/01/2006 a 07/01/2006
18/12/2005 a 24/12/2005
04/12/2005 a 10/12/2005
27/11/2005 a 03/12/2005
20/11/2005 a 26/11/2005
13/11/2005 a 19/11/2005
06/11/2005 a 12/11/2005
30/10/2005 a 05/11/2005
23/10/2005 a 29/10/2005
25/09/2005 a 01/10/2005
18/09/2005 a 24/09/2005
11/09/2005 a 17/09/2005
28/08/2005 a 03/09/2005
21/08/2005 a 27/08/2005
07/08/2005 a 13/08/2005
31/07/2005 a 06/08/2005
03/07/2005 a 09/07/2005
26/06/2005 a 02/07/2005
19/06/2005 a 25/06/2005
12/06/2005 a 18/06/2005
05/06/2005 a 11/06/2005
15/05/2005 a 21/05/2005
08/05/2005 a 14/05/2005
01/05/2005 a 07/05/2005
24/04/2005 a 30/04/2005
17/04/2005 a 23/04/2005
03/04/2005 a 09/04/2005
27/03/2005 a 02/04/2005
20/03/2005 a 26/03/2005
13/03/2005 a 19/03/2005
06/03/2005 a 12/03/2005
20/02/2005 a 26/02/2005
13/02/2005 a 19/02/2005
06/02/2005 a 12/02/2005
30/01/2005 a 05/02/2005
23/01/2005 a 29/01/2005
16/01/2005 a 22/01/2005
09/01/2005 a 15/01/2005
02/01/2005 a 08/01/2005
05/12/2004 a 11/12/2004